AS MELHORES DO DIA 15/11 (COM VÍDEO DA “LIVE” DO PRESIDENTE)

1- O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (14) que deve se desfiliar do PSL nos próximos dias e classificou sua saída do partido como uma “separação amigável”. Ele ainda agradeceu correligionários e desejou boa sorte aos que permanecerão na sigla.
“A única certeza é que me desfilio, nos próximos dias, do PSL. Agradeço todo apoio e consideração que tive até o momento no partido. É uma separação amigável. Boa sorte ao presidente do partido, aqueles que apoiaram o presidente do partido, bem como o líder antigo, vão ser felizes todo mundo, cada um segue seu destino. É como uma separação, infelizmente acontece na vida da gente”, afirmou o presidente durante live semanal transmitida no Facebook. Bolsonaro ainda mencionou a criação de um novo partido, o Aliança pelo Brasil, que havia sido anunciada na última terça-feira (12).
Bolsonaro também comentou a crise política na Bolívia e aproveitou para defender a aprovação de um projeto de lei para permitir auditoria nas eleições do Brasil.
“Vou potencializar isso para que nós venhamos a votar, no começo do ano que vem, se Deus quiser, um projeto de lei de modo que você possa auditar uma eleição. Se você votou no João, você vai ter certeza de que o voto foi para o João, se eu votei na Maria, o voto foi para a Maria. Não podemos ter essa suspeita de fraude como houve na Bolívia porque um problema pode acontecer de um lado ou de outro”, disse.
O presidente destacou que o Brasil precisa ter um sistema de votação confiável. “O ano que vem não dá mais, mas a partir de 2022, sim. É para evitar um problema como houve na Bolívia, que o presidente lá [Evo Morales], pelo que parece, segundo a OEA, abusou e fraudou o processo eleitoral.”
No domingo (10), o então presidente do país vizinho, Evo Morales, renunciou ao mandato em meio a uma onda de protestos violentos por causa do resultado das eleições que havia confirmado sua reeleição, no dia 20 de outubro. O processo eleitoral do país chegou a ser questionado após auditoria feita pela Organização dos Estados Americanos (OEA). Desde terça-feira, Morales está no México, onde recebeu asilo político.
Com a renúncia de Evo Morales e depois que a senadora Jeanine Áñez se proclamou presidente do país, estabeleceu-se um governo de transição na Bolívia. Apesar de não haver consenso sobre a constitucionalidade da posse de Jeanine Áñez, ela assumiu o posto máximo do governo e montou um gabinete com 11 novos ministros, além de nomear novos chefes para as Forças Armadas e prometer eleições “em breve”. ( Veja o vídeo no final da matéria).

2- BMG: lucro chega a R$ 66 milhões com melhor rentabilidade
Política
Saída do PSL é “separação amigável”, diz Bolsonaro
Empresas
Helbor reverte margem negativa no 3º trimestre de 2019
Empresas
Oi queima quase R$ 1 bilhão do caixa no 3º trimestre
Fast MT
Gerdau prepara captação de US$ 500 milhões em títulos de dívidas
Fast MT
Trisul vende 40% em empreendimento no lançamento em São Paulo
Fast MT
PetroRio contrata Credit Suisse para formador de mercado
Internacional
Bolsonaro discute com Putin ampliação de comércio e fim de entraves a produtos agropecuários
Economia
Bolsonaro diz que Copom pode reduzir juro a 4,5% e que torce por queda

3- As ações europeias estavam a caminho de um sexto ganho consecutivo semanal na sexta-feira, após um fechamento recorde em Wall Street, com comentários otimistas de um funcionário da Casa Branca sobre um acordo comercial EUA-China que impulsionaram mineradoras, estoques de tecnologia e montadoras sensíveis ao comércio.
O Ibovespa reduziu as perdas da semana com uma tímida alta na quinta-feira, com balanços trimestrais ditando o ritmo dos negócios e papéis de Petrobras (SA:PETR4) impedindo um avanço maior.
O otimismo no trade , também , reflete no investidor americano e futuros em Nova York apontam para uma abertura em alta , em Wall Street, mas não se esqueã que hoje é sexta-feira e todo mundo quer colocar o dinheirinho da cerveja no bolso.

4- Uma crise de oito meses após o início dos jatos 737 MAX da Boeing e atrasos industriais generalizados estão definindo um cenário imprevisível para o Dubai Airshow da próxima semana, com algumas companhias aéreas revisando os planos da frota, enquanto outras buscam pechinchas. A exposição civil e militar bienal é uma grande vitrine de produtos de jumbo jones a drones militares, mas enfrenta crescentes perguntas sobre a demanda e a capacidade de fornecedores sobrecarregados, disseram os delegados que chegaram ao evento de 17 a 21 de novembro. O topo de sua agenda será o aterramento mundial do 737 MAX após dois acidentes mortais. Investidores que compraram ações da Boeing (N: BA) acreditam que a fabricante de aviões está dobrando a esquina após o período de oito meses, com a empresa prevendo vôos comerciais em janeiro. Mas ele também enfrenta um grande número de jatos não entregues que podem levar de um a dois anos para serem desenrolados. A flydubai, estatal, espera que sua frota diminua em um terço este ano, destacando o custo de aterramento para o maior cliente do MAX fora dos Estados Unidos. “Flydubai tem ambições muito grandes … dada a escala dessas ambições, há pouco que elas podem fazer além de esperar e assistir, como todo mundo”, disse Richard Aboulafia, analista do Teal Group. A Boeing perdeu um potencial cliente do MAX no início deste ano, com o flyadeal da companhia aérea de orçamento saudita descartando um pedido provisório.

5- Hong Kong entrou em recessão pela primeira vez em uma década no terceiro trimestre, dados do governo confirmados na sexta-feira, oprimidos por protestos antigovernamentais cada vez mais violentos e a escalada guerra comercial EUA-China.
A economia encolheu 3,2% em julho-setembro em relação ao trimestre anterior, com ajuste sazonal, mostraram dados revisados ​​do governo, em linha com uma leitura preliminar.
Produto interno bruto (PIB) contratado pelo segundo trimestre consecutivo, atendendo à definição técnica de recessão.
Sem fim dos protestos à vista, os analistas alertam que o centro financeiro e comercial pode enfrentar uma queda mais longa e profunda do que durante a crise financeira global em 2008/2009 e a epidemia de SARS em 2003.
Em relação ao ano anterior, a economia contraiu 2,9%, também em linha com a leitura preliminar. As leituras foram as mais fracas desde a crise global.
“A demanda doméstica piorou significativamente no terceiro trimestre, com os incidentes sociais locais afetando pesadamente as atividades relacionadas ao consumo e diminuindo as perspectivas econômicas sobre o sentimento de consumo e investimento”, afirmou o governo em comunicado.
Ele revisou sua previsão de crescimento para o ano inteiro para uma contração de 1,3% em comparação com uma estimativa anterior de 0-1% de crescimento. Isso marcaria o primeiro declínio anual desde 2009.
“Acabar com a violência e restaurar a calma é fundamental para a recuperação da economia. O governo continuará a monitorar de perto a situação e a introduzir medidas necessárias para apoiar as empresas e salvaguardar”, afirmou o governo.
Mais de cinco meses de protestos políticos mergulharam a cidade em sua pior crise desde que ela voltou do domínio britânico para chinês em 1997.
Os turistas estão cancelando as reservas, os varejistas estão sofrendo com uma queda acentuada nas vendas e o mercado de ações (HSI) está vacilando, aumentando a pressão que a cidade está sentindo com a desaceleração econômica da China e a prolongada disputa comercial entre os EUA e eles.
As vendas no varejo em agosto foram as piores já registradas – queda de 23% em relação ao ano anterior – enquanto as de setembro caíram 18,3%.
Partes da cidade ficaram paralisadas pelo quinto dia na sexta-feira. As interrupções no transporte tornaram-se comuns e alguns shoppings e outras empresas estão fechando cedo à medida que a agitação aumenta.

6- Na manhã desta sexta-feira 15, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) informou a liberação de todas as pistas da Marginal Tietê junto à Ponte Comunidade Húngara, sentido Castelo Branco,na Zona Norte de São Paulo, que estavam interditadas pela queda de uma passarela durante chuvas na noite de quinta.
O tráfego foi interrompido durante a noite após o incidente. Duas pessoas foram resgatadas de um carro de passeio, mas não correm risco de morte, segundo o Corpo de Bombeiros.
A estrutura, que faz parte de obra realizada pela Prefeitura de São Paulo para construir a alça de acesso para a futura ponte Pirituba-Lapa, caiu sobre dois ônibus e um carro. Por volta das 21h30, técnicos da Defesa Civil paulistana usavam maçaricos e uma retroescavadeira para remover a estrutura da via.
A obra foi contratada pela prefeitura em 2016, ainda na gestão do ex-prefeito João Doria, pelo valor de 198 milhões de reais. O consórcio executor das construções é formado pelas empreiteiras Constran e EIT Engenharia.
Segundo a gestão do atual prefeito, Bruno Covas, ao ser informado sobre o incidente com a passarela na Marginal, ele determinou que o secretário de Segurança Urbana, coronel José Roberto Rodrigues de Oliveira, responsável pela Defesa Civil, siga imediatamente para o local.
Pouco antes do desabamento, uma forte ventania, que deu início a um temporal, atingiu a região. De acordo com a CET, a capital chegou a registrar na noite desta quinta-feira, 14, 172 quilômetros de lentidão. A expectativa era de aumento no número de veículos nas vias por ser véspera de feriado nacional da Proclamação da República.
Para fugir do trânsito travado, motoristas chegaram a atravessar por cima de canteiros para acessar a pista local da marginal Tietê, na altura da ponte do Piqueri. Neste local, por volta das 20h30, a CET passou a orientar os motoristas que estavam na pista expressa a fazerem um retorno pela pista central, no sentido contrário.

7- A Alibaba (NYSE: BABA) concluiu a maior oferta de ações do mundo até agora este ano, colocando até 575 milhões de novas ações a um preço de cerca de US $ 24,01 em uma listagem na Bolsa de Valores de Hong Kong.
Isso significa que a oferta total arrecadará US $ 13,8 bilhões se a opção ‘greenshoe’ for exercida totalmente.
O acordo ocorre em um momento crítico para Hong Kong e seu mercado de ações após uma semana de protestos intensificados e freqüentemente violentos (as autoridades culparam os manifestantes na sexta-feira por matar um limpador de 70 anos, um espectador em um protesto, com um tijolo).
O presidente Xi Jinping disse que restaurar a ordem é a “tarefa mais urgente” da cidade e exortou a líder da cidade, Carrie Lam, a tomar medidas mais decisivas.

Bons Negócios !!__________________Yochanan Pinchas

Compartilhar:

Be the first to comment

Leave a Reply