DÓLAR OURO PETRÓLEO B3 26/10: TOUROS FAZEM A FESTA E RALI CONTINUA!

XAU/USD__________1790,64_____EUR/USD______1,15939

XAG/USD__________24,016______GPB/USD_______1.37640

USOIL_____________84,317______USD/BRL_______5,56640

UKOIL_____________85,692________USD/ILS______3,19970

COBRE____________4.47473_____USD/CHF_________0,91990

O Índice Bovespa fechou em forte alta, recuperando parte das perdas da semana passada. Apesar de o risco fiscal com mudanças no Teto de Gastos continuar, os investidores se animaram com a permanência do ministro Paulo Guedes e uma proposta para privatizar a Petrobras. O real voltou a se valorizar, mas os juros oscilaram, com alta no curto prazo e queda nos longos diante da expectativa de subida mais forte da Selic na quarta-feira. Lá fora, Dow Jones e S&P500 bateram novos recordes com papéis de tecnologia e à espera de balanços e incentivos.

 

🗓️ Na agenda de terça-feira, o IBGE divulga o IPCA-15, prévia da inflação oficial de outubro, no mesmo dia que começa a reunião do Comitê de Política Monetária. Saem também os números de emprego com carteira assinada do Caged de setembro. Nos Estados Unidos, serão divulgados dados do mercado imobiliário de setembro e a Confiança do Consumidor de outubro. Na China, à noite, saem os lucros totais da indústria de setembro. Divulgam seus lucros Klabin, GE, 3M Eli Lilly antes da abertura e Inter, Cesp, Marfrig, Twitter e Microsoft, depois do fechamento.

 

🗽 Dow Jones e S&P500 bateram novos recordes, com avanços de 0,18%, a 35.743 pontos, e 0,47% a 4.566, respectivamente, em meio à expectativa de bons balanços das empresas de tecnologia e com a disparada da Tesla, que atingiu US$1 trilhão em valor de mercado. O Nasdaq 100 subiu 1,04%. No pós-mercado, as ações do Facebook aceleravam após lucro acima das expectativas. O Brent subiu 0,62% e o WTI fechou praticamente estável, ainda com incertezas sobre impacto do coronavírus na demanda.

 

💰 O Facebook registrou lucro líquido de US$3,22 por ação no terceiro trimestre, acima do consenso de US$3,19, mas receita frustrando as expectativas dos investidores.

O dólar comercial encerrou segunda-feira (25) vendido a R$ 5,556, com recuo de R$ 0,072 (-1,27%). A cotação chegou a operar em alta nos primeiros minutos de negociação, mas reverteu a tendência e passou a cair antes das 10h. Na mínima do dia, por volta das 16h, chegou a R$ 5,54.

Essa foi a segunda queda consecutiva da moeda norte-americana, que chegou a R$ 5,66 na quinta-feira (21), após o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmar que o governo pretende financiar parte do Auxílio Brasil com recursos que extrapolam o teto federal de gastos. A divisa caiu na sexta-feira (22), após pronunciamento conjunto de Guedes e do presidente Jair Bolsonaro.

O ouro caiu na manhã de terça-feira na Ásia. O dólar, que geralmente se move inversamente ao ouro, avançou 0,07% na terça-feira, se recuperando de uma queda de quase um mês na sessão anterior.

Além disso, os rendimentos do Tesouro dos EUA de referência de 10 anos aumentaram ligeiramente em 1,6431%, aumentando o custo de oportunidade do ouro não remunerado.

Os investidores aguardam as decisões de política das reuniões do Banco do Japão e do Banco Central Europeu (BCE) na quinta-feira, ambas a quinta-feira. Nenhum dos bancos centrais deve anunciar uma mudança na política, embora o BCE possa abordar como as pressões inflacionárias podem afetar a política, de acordo com a Reuters.

O Federal Reserve dos EUA e o Banco da Inglaterra também devem se reunir na próxima semana. No entanto, Silvana Tenreyro, que definiu as taxas de juros do Banco da Inglaterra, disse que precisava de mais tempo para julgar como o fim do esquema de licença para poupar empregos do governo está afetando o mercado de trabalho, o que é um sinal de que ela não vê urgência em aumentar as taxas, de acordo com Reuters.

Em outros metais preciosos, a prata caiu 0,1%, para US $ 24,53 por onça. A platina caiu 0,1% e o paládio aumentou 0,2%.

Os preços do petróleo caíram na terça-feira, dando uma pausa de uma recuperação sustentada impulsionada pela forte demanda nos Estados Unidos, o maior consumidor mundial de petróleo e seus produtos.

Embora os mercados de carvão e energia da China tenham esfriado um pouco após a intervenção do governo, os preços da energia permanecem elevados em todo o mundo, já que as temperaturas caem com o início do inverno no norte.

“As previsões para um novembro mais frio têm traders de energia se preparando para um mercado muito apertado que será atendido (com) uma demanda sem precedentes neste inverno”, disse o analista sênior de mercado da OANDA, Edward Moya, em nota.

O dólar subiu em relação ao porto-seguro iene, enquanto afrouxava um toque contra moedas mais arriscadas na terça-feira, com os sólidos ganhos da empresa e um vislumbre de melhora nos laços comerciais entre os EUA e a China, enquanto as expectativas de taxas pesavam sobre o euro.

Bons Negócios  !! _____________Yochanan Pinchas

 

Compartilhar:

Be the first to comment

Leave a Reply