MELHORES DO DIA 20/05: G7 MANDA MAIS US$ 18.4 BI P/ UCRÂNIA CONTINUAR GUERREAR

Bom Dia Traders! Todas as dicas para operar nesta sexta-feira, Guerra na Ucrânia não vai terminar ate os safados pararem de mandar grana para este fantoche dos EUA!

Corte de juros na China, GetNet fora da bolsa e o que mais move o mercado

Bolsas avançam após medida para atenuar efeitos econômicos das restrições para conter avanço da covid-19 na China

Por Guilherme Guilherme

Bolsas internacionais avançam na manhã desta sexta-feira, com investidores reagindo positivamente ao corte da taxa preferencial de empréstimo de cinco anos pelo Banco Central da China na última noite.

O movimento, que vai na contramão do aperto monetário dos principais bancos centrais do mundo, ajuda a reduzir as crescentes preocupações sobre a demanda da segunda maior economia do mundo diante de restrições para conter a covid-19 nas principais cidades do país.

O principal índice da bolsa de Hong Kong fechou em alta de quase 3% nesta madrugada. Em Dalian, na China, o minério de ferro saltou mais de 3%, quebrando a sequência de duas quedas consecutivas e abrindo o caminho para as ações da Vale subirem no pregão hoje.

A melhora de sentimento também tem influenciado as negociações no Ocidente, com índices da Europa e os futuros americanos com altas de mais de 1%. Entre os destaques do Velho Continente é a bolsa de Frankfurt, que avança mais de 1,5%, mesmo com dados preocupantes sobre a inflação ao produtor alemão divulgados nesta manhã.

O Índice de Preço ao Produtor (IPP) da Alemanha subiu o dobro do esperado para mês de abril, ficando em 2,8%. O indicador avançou de 30,9% para 33,5% no acumulado de 12 meses. Mas o dia é de apetite ao risco.

Apesar do maior otimismo do mercado, o petróleo opera em leve queda, com investidores repercutindo a notícia da Bloomberg de que a China poderá comprar petróleo russo para suas reservas estratégicas. A commodity, porém, caminha para fechar a semana praticamente estável em relação à anterior, cotada próxima de US$ 110 por barril.

Local x internacional

Já a bolsa brasileira pode chegar a sua segunda alta semanal consecutiva nesta sexta, contrariando a sequência de quedas das principais bolsas internacionais. O S&P 500, mesmo considerando a alta do mercado de futuros desta manhã, caminha para fechar em queda pela sétima semana seguida. Se confirmada será a maior sequência negativa desde 2001, quando o índice americano registrou oito quedas semanais consecutivas.

A melhora de percepção sobre o mercado brasileiro tem mais a ver com o preço do que com redução dos riscos. Vale lembrar que o Ibovespa ficou para trás durante os ralis para as bolsas que ocorreram logo após os momentos mais críticos da pandemia para o mercado. No ano passado, por exemplo, a bolsa local caiu 10%, enquanto índices de Wall Street fecharam 2021 com fortes altas.

GetNet de saída da bolsa

A GetNet anunciou na última noite que pretende tirar suas ações da B3 menos de um ano menos de um ano após a cisão do Santander que na listagem dos papéis. A PagoNxt, controladora da empresa e subsidiaria do Santander, anunciou que pretende realizar uma oferta pública para o cancelamento das ações na B3 e das ADRs da empresa na Nasdaq.

O valor ofertado foi de R$ 2,36 por ação ordinária (GETT3) e de R$ 4,72 por unit (GETT11). As units da GetNet vinham de 68% de queda em relação à cotação máxima atingida ainda nos primiros pregões do papel, no ano passado.

__________________

Os líderes financeiros do Grupo dos Sete concordaram na quinta-feira em US$ 18,4 bilhões para ajudar a Ucrânia a pagar suas contas nos próximos meses e disseram que estão prontos para apoiar Kiev durante sua guerra com a Rússia e fazer mais, se necessário, mostrou um esboço de comunicado.

Ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais dos Estados Unidos, Japão, Canadá, Grã-Bretanha, Alemanha, França e Itália – o G7 – estão conversando enquanto a Ucrânia, invadida pela Rússia em 24 de fevereiro, está lutando para se defender do ataque e está concorrendo sem dinheiro.

“Em 2022, mobilizamos US$ 18,4 bilhões em apoio orçamentário, incluindo US$ 9,2 bilhões em compromissos recentes”, disse o esboço do comunicado visto pela Reuters.

“Continuaremos a apoiar a Ucrânia durante esta guerra e além e estamos preparados para fazer mais conforme necessário”, afirmou.

No rascunho, o G7 saudou a proposta da Comissão Europeia na quarta-feira de emprestar 9 bilhões de euros à Ucrânia e observou que o Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento e a Corporação Financeira Internacional planejavam um apoio no valor de US$ 3,4 bilhões. Mas não ficou claro se esses fundos faziam parte dos US$ 18,4 bilhões ou separados.

Mais cedo nesta quinta-feira, o ministro das Finanças da Alemanha, Christian Lindner, disse que a Alemanha concederá à Ucrânia 1 bilhão de euros e o Japão prometeu dobrar sua ajuda à Ucrânia para US$ 600 milhões para ajudá-la a cobrir suas necessidades de curto prazo.

A Ucrânia estima que precisa de cerca de US$ 5 bilhões por mês para manter os salários dos funcionários públicos pagos e o governo funcionando, apesar da destruição diária causada pela Rússia.

A guerra mudou o jogo para as potências ocidentais, forçando-as a repensar as relações de décadas com a Rússia não apenas em termos de segurança, mas também em energia, alimentos e alianças de fornecimento global, de microchips a terras raras.

Mais amplamente, os formuladores de políticas do G7 estão lutando com a questão de como conter a inflação e aumentar a pressão das sanções sobre a Rússia sem causar recessão.

Mais e mais autoridades têm trazido à tona o termo “estagflação” – a temida combinação dos anos 1970 de aumentos persistentes de preços juntamente com estagnação econômica.

“Os bancos centrais do G7 estão monitorando de perto o impacto das pressões de preços nas expectativas de inflação e continuarão a calibrar adequadamente o ritmo de aperto da política monetária de maneira dependente de dados e claramente comunicada, garantindo que as expectativas de inflação permaneçam bem ancoradas, ao mesmo tempo em que estão atentos para salvaguardar a recuperação e limitar as repercussões negativas entre os países”, disse o esboço.

RECONSTRUÇÃO A LONGO PRAZO

A Comissão Europeia propôs na quarta-feira a criação de um fundo de tamanho não especificado de doações e empréstimos para a Ucrânia, possivelmente emprestados em conjunto pela UE, para pagar a reconstrução pós-guerra.

O G7 disse que apoiava, mas evitou qualquer detalhe.

“Pedimos a todos os parceiros que se juntem a nós no apoio à recuperação de longo prazo da Ucrânia e garantam que o esforço conjunto maciço de reconstrução seja coordenado de perto, inclusive com as autoridades ucranianas e instituições financeiras internacionais”, disse o esboço.

As estimativas dos economistas sobre o custo da reconstrução da Ucrânia variam amplamente entre 500 bilhões de euros e 2 trilhões de euros (US$ 524 bilhões a US$ 2,09 trilhões), dependendo das suposições sobre a duração do conflito e o alcance da destruição.

Com somas dessa magnitude, a UE está considerando não apenas um novo projeto de empréstimo conjunto, modelado no fundo de recuperação da pandemia, mas também apreender os ativos russos agora congelados na UE, como fontes de financiamento.

Alguns países, como a Alemanha, no entanto, dizem que a ideia, embora politicamente interessante, teria fundamentos jurídicos duvidosos e o rascunho do comunicado do G7 não mencionou o assunto.

(US$ 1 = 0,9550 euros)

Bons Negócios  !!_____________Yochanan Pinchas

Compartilhar: